Seja bem vindo
Torres,30/05/2024

  • A +
  • A -

No setembro amarelo, um alerta para importância da prevenção e do olhar atendo do médico para saúde mental de crianças e adolescentes

Sociedade de Pediatria do Rio Grande do Sul destaca o Dia Mundial de Prevenção do Suicídio e a importância da conscientização sobre saúde mental em crianças e adolescentes

Fonte: Marcelo Matusiak
No setembro amarelo, um alerta para importância da prevenção e do olhar atendo do médico para saúde mental de crianças e adolescentes foto ilustrativa


De acordo com dados do Ministério da
Saúde, o suicídio na infância e adolescência é uma preocupação crescente no
Brasil. Estatísticas revelam que, entre os anos de 2011 e 2020, houve um
aumento de 95% no número de suicídios entre crianças e adolescentes, representando
um grave problema de saúde pública.

A Sociedade de Pediatria do Rio Grande do Sul (SPRS) junta-se à
iniciativa global do Dia Mundial de Prevenção do Suicídio, que ocorre no dia 10
de setembro, para enfatizar a necessidade de conscientização sobre saúde mental
em crianças e adolescentes. O médico pediatra, psiquiatra infantil e
psicanalista, Victor Mardini, destaca o papel dos profissionais da saúde,
especialmente médicos pediatras, na prevenção do suicídio nessa faixa etária.

“Antes da pandemia, já observávamos um aumento nos transtornos
depressivos e ansiosos na faixa pediátrica. O suicídio, segundo a OMS, figura
como a segunda causa de morte entre jovens de 15 a 29 anos. Com a pandemia,
esses problemas se agravaram. É vital ressaltar o papel central do Pediatra na
detecção e prevenção dos transtornos mentais desde a gestação até o
desenvolvimento da criança e do adolescente. A relação próxima com a família
possibilita a identificação de fragilidades e riscos. As doenças mentais, como
em outras fases da vida, resultam da interação entre vulnerabilidade biológica
e fatores ambientais. Um vínculo forte permite a identificação desses riscos e
a orientação adequada, contribuindo para a saúde mental dos pacientes jovens”
salienta.

A saúde mental é um fator fundamental para o bem-estar das crianças e
adolescentes, e fatores de risco relacionados podem aumentar sua
vulnerabilidade ao suicídio. Victor Mardini esclarece quais são e como os
profissionais médicos podem identificá-los precocemente, fornecendo uma base
sólida para a prevenção.

“O Pediatra, ao dar o exemplo, conversando diretamente com a criança e
adolescente sobre seus pensamentos mais dolorosos, mostrará para a família que
o assunto pode ser abordado sem medos, auxiliando a criança e o adolescente a
ter um canal de expressão do seu desespero e sua angustia, aliviando sua dor
emocional, sentindo-se acolhido e facilitando o encaminhamento do tratamento. A
criança e o adolescente vão sentir-se mais confiante de que poderão falar sobre
seus sentimentos e sofrimentos com sua própria família. Esta abordagem
permitirá mais facilmente o encaminhamento da família para uma consulta
psicológica/psiquiátrica. Em casos de evolução mais arrastada ou sintomas de
maior intensidade, com sintomas ansiosos e depressivos mais significativos e
sofrimento emocional persistente o questionamento aos pais e a própria criança
sobre interesses sobre o tema de morte, utilização da internet para buscas
destes assuntos, pensamentos de morte em relação a si mesmo, ideias de morrer
como solução para o seu sofrimento, a desesperança na vida, a existência de
algum plano concreto de como consolidar o suicídio, são fundamentais para
alertar os pais e indicar uma necessidade urgente de proteção e auxílio
psiquiátrico. Nestas situações o contato e encaminhamento imediato para um
colega psiquiatra é fundamental” acrescenta.

Estratégias de triagem e intervenção são essenciais nesse contexto. É
crucial que os profissionais da saúde, especialmente médicos pediatras, estejam
capacitados para identificar os sinais de risco de suicídio em crianças e
adolescentes e possam intervir adequadamente. A conscientização e a educação
são fundamentais para promover uma detecção precoce e encaminhar para
tratamento especializado.

Redação: Marcelo Matusiak





















 




COMENTÁRIOS

Buscar

Alterar Local

Anuncie Aqui

Escolha abaixo onde deseja anunciar.

Efetue o Login