Seja bem vindo
Torres,19/07/2024

  • A +
  • A -

GOVERNADOR DO RS BUSCA AGILIZAR REPASSE DOS AEROPORTOS DE TORRES E CANELA À INFRAERO

Eduardo Leite manifestou interesse em concretizar com a máxima agilidade possível a proposta da Infraero de retomada das outorgas de operação dos aeroportos de Torres (foto) e Canela

Fonte: Texto: Carlos Ismael Moreira/Secom e Lucas Barroso/Serg Edição: Rodrigo Toledo França/Secom
GOVERNADOR DO RS BUSCA AGILIZAR REPASSE DOS AEROPORTOS DE TORRES E CANELA À INFRAERO Aeroporto Regional de Torres, às margens da Estrada do Mar FONTE - GOVERNO DO RS*

GOVERNADOR DO RS BUSCA
AGILIZAR REPASSE DOS AEROPORTOS DE TORRES E CANELA À INFRAERO

A partir de compromisso da
empresa pública federal de ampliar as possibilidades de voos nesses dois
terminais, Eduardo Leite manifestou interesse em concretizar com a máxima
agilidade possível a proposta da Infraero de retomada das outorgas de operação
dos aeroportos de Torres (foto) e Canela

Em reunião realizada por
videoconferência nesta terça-feira (9/7) com o ministro de Portos e Aeroportos,
Silvio Costa Filho, e o presidente da Infraero, Rogerio Barzellay, o governador
do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, manifestou interesse em concretizar com a
máxima agilidade possível a proposta da Infraero de retomada das outorgas de
operação dos aeroportos de Torres e Canela, atualmente operados pelo Estado, a
partir de compromisso da empresa pública federal de ampliar as possibilidades
de voos nesses dois terminais após a gestão retornar à União. O presidente da
Infraero deverá vir ao Rio Grande do Sul até a próxima sexta-feira (12/7) para
nova reunião com equipes técnicas, a fim de alinhar a execução do cronograma
com celeridade.

Conforme a Infraero, em
ofício remetido ao Estado, a partir da retomada da gestão pela empresa da
União, em 15 dias os aeroportos estarão aptos para operar voos regulares com
transporte de até nove passageiros (Grand Caravan) por viagem em Canela e de
até 72 passageiros (ATR-72) em Torres. No documento, a Infraero prevê também
que, em até 45 dias, serão viabilizados voos transportando até 165 passageiros
(Airbus e Boeing) no aeroporto do Litoral Norte e 72 passageiros no terminal da
Serra gaúcha.

“Essa possibilidade trazida
no expediente que a Infraero nos remeteu gerou grande expectativa nas
comunidades. Na reunião, ressaltei que, de nossa parte, a devolução da outorga
é pra já. Temos todo o interesse em fazer no menor tempo possível a ampliação
das operações para beneficiar a economia e o turismo do RS”, afirmou Leite.

“Enquanto o aeroporto
Salgado Filho permanece fechado, temos feito todo o possível para qualificar a
aviação nos aeroportos do interior, e esse movimento é mais um com esse mesmo
sentido. Vamos acelerar ao máximo o processo para que, o quanto antes, a
Infraero possa cumprir os prazos com que se comprometeu e, assim, ajudar o RS a
se reconectar, também por via aérea, com todo o Brasil”, acrescentou o
governador.

O ministro Silvio Filho
ressaltou a necessidade do esforço conjunto para ampliação de voos, do reforço
de infraestrutura e da qualificação do atendimento dos aeroportos no Rio Grande
do Sul – uma vez que o principal terminal do Estado, o Aeroporto Internacional
Salgado Filho, na Capital, segue fora de operação devido à enchente. “Nossa
ideia de reconstrução é de que não adianta só reconstruirmos o que foi perdido.
Temos que fazer diferente e melhor. Requalificar nossos aeroportos faz parte
desse propósito”, afirmou o secretário da Reconstrução Gaúcha, Pedro Capeluppi. 

Presidente da Infraero
deverá vir ao RS até sexta-feira (12/7) para alinhar a execução do cronograma
com celeridade.  
Foto: Maurício Tonetto/Secom

 Investimentos

O governo do RS aponta a
necessidade de investimento de R$ 8,69 milhões para qualificação dos aeroportos
de Canela e Torres, de modo a contribuir para a preparação da malha aérea do
Estado em futuras crises meteorológicas.

Para manter os terminais em
boas condições, o Executivo estadual também sugeriu que, após a retomada da
outorga pela União, seja estudada a possibilidade de eles serem incluídos na
política de concessões aeroportuárias, que tem assegurado fluxo de investimento
necessário nos terminais que já foram objeto desse modelo de gestão.

Também acompanharam a
reunião o Procurador-geral do Estado, Eduardo Cunha da Costa, e os secretários
de Logística e Transportes, Juvir Costella, de 
Planejamento, Governança e Gestão, Danielle Calazans, de Desenvolvimento
Rural, Ronaldo Santini, e o líder do governo na Assembleia Legislativa,
deputado Frederico Antunes.

*Texto: Carlos Ismael
Moreira/Secom e Lucas Barroso/Serg

































Edição: Rodrigo Toledo
França/Secom




COMENTÁRIOS

Buscar

Alterar Local

Anuncie Aqui

Escolha abaixo onde deseja anunciar.

Efetue o Login